quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Fã que se dizia 'marido' de Dilma tenta invadir rampa do Planalto

Ao ser detida por seguranças, jovem disse que queria casar com presidente.
Identificada como homem, Edmeire Celestino da Silva é mulher, diz hospital.

Priscilla Mendes e Felipe NériDo G1, em Brasília
337 comentários
Segundo guardas que trabalham no Planalto, Edmeire circulou pelo local nos últimos dois dias (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)Edmeire da Silva nas proximidades do Palácio do
Planalto; segundo seguranças, ela circulou pelo
local nos últimos dois  dias (Foto: Ueslei Marcelino
/Reuters)
Identificada inicialmente por policiais e jornalistas como homem, Edmeire Celestino da Silva, que tentou invadir a rampa do Palácio do Planalto se dizendo "marido" da presidente Dilma Rousseff, é mulher, informou na noite desta terça (11) o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), em Brasília.
[Correção: ao ser publicada, esta reportagem informou que a fã da presidente era um homem. Posteriormente, o hospital informou que se tratava de uma mulher. O erro foi corrigido às 21h34].
A identificação foi confirmada pelo 6º Batalhão da Polícia Militar, que acompanhou o momento em que a jovem foi imobilizada pelos seguranças da guarda presidencial e levada ao hospital.
De acordo com a chefia de equipe do HRAN, a mulher foi atendida apresentando bom estado de saúde e liberada em seguida. Segundo o hospital, ela não apresentava alteração clínica.
"A PM acompanhou na viatura o trajeto do Palácio do Planalto até o hospital. Trata-se de uma mulher", afirmou o sargento Messias, da Polícia Militar.
Edmeire Celestino da Silva, de 29 anos, estava suja, com roupas rasgadas e sem sapatos. Após tentar invadir a rampa do Palácio do Planalto e ser imobilizada pelos seguranças, afirmou ser apaixonada pela presidente Dilma.
“Sou marido da Dilma Vana Rousseff. Sou esposo dela”, disse. “Você quer casar comigo, meu amor?”. “Eu queria sequestrar ela, ela é meu coração”, declarou.
Segundo relatos de seguranças do Palácio, no momento em que Edmeire se aproximou da rampa, o soldado encarregado de proteger o acesso pediu que ela voltasse, mas não foi atendido. Após insistir com a jovem, o soldado fez dois disparos com balas de borracha para o chão.
Em seguida, Edmeire partiu para cima do soldado e os dois trocaram socos e chegaram a rolar pela rampa do palácio. A briga não durou muito porque os demais seguranças do Batalhão da Guarda Presidencial logo apareceram e a imobilizaram.
De acordo com os guardas que trabalham na guarita do Planalto, Edmeire já havia circulado pelo local nos últimos dois dias, sempre dizendo ser o "marido" de Dilma Rousseff.
Antes de ser imobilizado, Edmeire partiu para cima do soldado e os dois trocaram socos e chegaram a rolar pela rampa do palácio (Foto: Priscilla Mendes/G1)Edmeire da Silva imobilizada por seguranças do Palácio do Planalto (Foto: Priscilla Mendes/G1)
tópicos: