sexta-feira, 7 de abril de 2017

Em silêncio eu choro.


Sabe bebê, às vezes, em silêncio eu choro. Eu choro por você.

No quarto, enquanto faço o almoço, no chuveiro, assistindo o noticiário, ouvindo música.

Em silêncio eu choro.

Em silêncio eu choro porque este encontro é tão antigo e minha alma é tão nova, que desmonta.

Em silêncio eu choro porque esta bênção é tão grande e eu sou tão pequena, que não sei agradecer.

Em silêncio eu choro por preocupações, por insegurança, por culpa. E por todas estas coisas que chegaram junto ao seu nascer.

Em silêncio eu choro por causa do cheiro nos seus cabelos, e o brilho nos seus olhos, e os seus dedinhos pequenos.

Em silêncio eu choro porque este amor é tão imenso, que é muito. Demais para levar.

Em silêncio eu choro porque a sua vida me transformou. E eu sinto saudades de mim. Uma desesperada falta de mim mesma.

Em silêncio eu choro por causa da pureza que você carrega no peito.

Em silêncio eu choro porque você é tão inocente e há tantas coisas lá fora, e eu tenho medo.

Em silêncio eu choro porque você me faz ter esperança. E piedade. E empatia. E compaixão. E sentimentos que não parecem caber.

Em silêncio eu choro por causa da fé desbravadora que você me trouxe.

Em silêncio eu choro porque esta responsabilidade é tão pesada e meus ombros são tão fracos, que eu temo.

Em silêncio eu choro porque sua simples existência me traz felicidade. Paz, plenitude, alegria. E sensações que ainda não foram nomeadas.

Em silêncio eu choro por mim, e por você, e por outras mães, e por outros filhos. Por tudo que veio antes e por tudo que virá depois. E assim, em silêncio eu choro meu bebê.

Eu choro por tristes, belas, bobas, magníficas razões que você jamais conseguirá entender, até que você tenha um filho.

Saudade de quando ainda cabia no meu colo💜👦