sexta-feira, 1 de junho de 2012

O caminho

Na ânsia da vida o homem vive, 
produz e reproduz, 
na ânsia da morte mostra que produziu e reproduziu, 
porém, o fez pra si ou para outrem? 
Em sonhos, sente e ressente, o lamento foi tarde, aconteceu.
Os risos, vezes alegres outras tristes, 
molhados, suados, tensos sem graça.
Na ânsia da vida o homem vive,
na ânsia da morte, lhe é mostrado
Este, é o caminho da feliz-idade!