terça-feira, 26 de agosto de 2014

O Ser feliz na visão alheia

Um repórter em uma matéria entrevista uma mulher quilombola, ela com 40 anos teve 10 filhos, três morreram, o esposo o abandonou deixando-a com sete, vendo a extrema pobreza e dificuldade da mulher ele pergunta: Como você se sente como mulher...Ela responde: - Eu sou uma pessoa muito feliz. 
Um dos grandes mestres contemporâneos do budismo, o dalai lama Tenzin Gyatso, diz que a felicidade é uma questão primordialmente mental, no sentido de ser necessário, primeiramente, se identificar os fatores que causam a nossa infelicidade e os fatores que causam a nossa felicidade. Uma vez identificados esses fatores, bastaria extinguir os primeiros e estimular os segundos, para se atingir a felicidade[. O dalai lama ainda enfatiza a importância da disposição mental para se atingir a felicidade: sem uma disposição mental adequada, de nada adianta a posse de fatores externos, como riqueza, amigos etc. E a disposição mental adequada para a felicidade baseia-se sobretudo na serenidade.
O interessante é que o Repórter  vê  na mulher somente sofrimento. Como pode alguém viver tamanhas dificuldades e ainda assim sentir-se  feliz? Tal situação poderia ser ao contrario, ou seja, vermos uma pessoa que tem todas as probabilidades de ser feliz, mas Não se acha feliz . Diante das observações vemos que: O ser ou Não Feliz, é pura questão de sentimento, importando ou não a visão alheia.