terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O Sambódromo foi IDEALIZADO no Governo LEONEL BRIZOLA

Até 1983 os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro eram realizados em instalações provisórias. O órgão público responsável pelo turismo contratava, em todos os anos, empresas especializadas na montagem e desmontagem de arquibancadas o que, para a equipe de Brizola, encarecia o carnaval.

Foi na intenção de gerar economia de gastos que nasceu a ideia de se erguer o Sambódromo da Marquês de Sapucaí que, assim como os CIEPS, tem a arquitetura elaborada por Oscar Niemeyer. Ele foi construído em tempo recorde (menos de 1 ano) no centro do Rio de Janeiro, junto a Praça Onze.

A marca registrada do Sambódromo é a Praça da Apoteose, onde existe o Museu do Samba e, em cima deste, um arco de concreto em formato de M que sugere ser o formato de uma nádega feminina vestida por um fio dental.

Os camarotes do Sambódromo servem como salas de aula durante todo o ano letivo. A utilização de camarotes para este fim já fazia parte do projeto concebido por Niemeyer. A Praça da Apoteose é utilizada fora da época carnavalesca como espaço para shows e eventos ao ar livre.
No espaço também funcionam dois CIEPs de Educação Infantil (desde 1984), uma creche e uma escola de Educação de Jovens e Adultos (EJA)

Fonte; wikpédia