sábado, 7 de março de 2015

Honestidade posta a prova




Inacreditável a descrença nas instituições. Sabe o juiz Flávio de Souza, aquele que guardou o Porsche e o piano de Eike Batista no próprio condomínio? Pois, agora sumiu cerca de 700 mil reais que estavam sob a responsabilidade dele. Onde vamos parar com tanta podridão? Pessoas que devem ser referências por suas posições e cargos,  caem na vala comum do descrédito. Que país estamos mostrando para nosso filhos, que eleitores fracassados estamos sendo. Alguém falou certa vez, que " O homem só prova que é honesto, quando tem oportunidade de roubar  e não o faz" achava isso um absurdo, mas infelizmente até estou crendo nesta máxima. 

Me sinto mal diante disso tudo, fico triste, até me deprimo um pouco. Me deprimo pois não vejo uma reviravolta nesta situação. Cada vez que acesso as redes sociais mais me é mostrado roubos, falcatruas e negociatas....Mas não podemos desanimar, senão onde vamos parar? Que sejamos fortes e marquemos bem estas figurinhas na Paleta, para darmos uma resposta à eles e à quem os defendem. Não devemos deixar a voz do descrédito falar mais alto. Nas próximas eleições vamos pensar bem em quem votarmos, vamos rediscutir nossa política inclusive a local. 

Vamos participar mais, dar mais opiniões,  formar grupos, até porque isso só muda, se NÓS mudarmos. Diante disso tudo, espero que estas pessoas sejam punidas NÃO pelas leis brasileiras que são pífias ridículas, Mas pela Lei de Deus de suas consciências. 

Estas pessoas envolvidas em falcatruas estão marcadas pelo  resto de suas vidas aqui na terra, e por tabela punirão seus filhos, seus netos, eles serão marcados pois serão os filhos e netos do Juiz ladrão, do político corrupto, creio que Não tem  maior punição à um homem que seu nome ser manchado pelo resto de seus dias e até após a morte. 

Quando nascemos nos dão um Nome e quando morrermos seremos conhecido por ele. Quando isso se vai, vai junto a honra do homem, e nada, nada é pior quando a Honra de um homem se vai, aí sim, é o FIM.  Não existe coisa pior, ser lembrado após a morte, por ter sido um assassino, ladrão ou um corrupto.