domingo, 20 de julho de 2014

A fatalidade

Quem não tem como fatal o instante da morte?

Acaso algum Espírito encarnado está fadado a passar o resto de sua vida num mesmo corpo de carne? É nesse sentido que o Espírito da codificação disse a Kardec que fatal no verdadeiro sentido da palavra é apenas o momento da morte. Se fosse num sentido diferente deste, o nascimento físico também seria um momento fatal para o Espírito, uma vez que o nascimento está intimamente ligado às provas que o mesmo será submetido. Isso faria fatais todos eventos de sua vida e não teria razões para ter excluídos desta respostas os demais acontecimentos envolvendo a experiência na carne. Ideia esta que em vários pontos do estudo Espírita é negada.


859 Se a morte não pode ser evitada, ocorre o mesmo com todos os acidentes que nos atingem no decorrer da vida?

– Freqüentemente esses acidentes são pequenas coisas para as quais podemos vos prevenir e, algumas vezes, fazer com que as eviteis, dirigindo vosso pensamento, porque não gostamos de vos ver sofrer; mas isso é de pouca importância para a vida que escolhestes. A fatalidade, verdadeiramente, consiste apenas na hora em que deveis nascer e morrer.