sábado, 23 de março de 2013

O direito de tomar um mate


Se existe um direito que o povo gaúcho tem, esse é de tomar um bom mate. Mate não se faz de qualquer jeito. Em seu conjunto não se tem uma térmica, bomba ou uma cuia de um porongo qualquer. Nós por natureza somos exigentes, e ao escolhermos os apetrechos, é como se nossos olhos vislumbrassem na vitrine as melhores roupas, uma joia rara ou uma cena inesquecível, pois isso vai refletir a personalidade de seu dono. Fazer um mate é como se fosse uma oração, exige calma, paz, pois daquela bebida emergirá energia capaz de alimentar nosso corpo e nossa alma, nos colocando ali em uma perfeita comunhão com Deus. Ao servir, que seja com respeito, educação e singeleza, ao tomarmos que estejamos conscientes: -Da beleza da vida, da paz da alma e das graças que temos alcançados, transformando aquele momento em um dos mais sublimes do mundo.