quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Encontro e desencontros


Casais unem-se e desunem-se numa ansiedade tal que parece que todos vão morre r amanhã. Não há paciência para troca de olhares, para a descoberta de afinidades, e muito menos para deixar a confiança ganhar terreno. O que há é pressa. Uma necessidade urgente de quebrar recordes sexuais, de aproveitar a vida através de paixões quase obrigatórias, forjadas, que não são exatamente encontros, mas desencontros brutais. Meio mundo esta perdido em Tóquio.

Do Livro Coisas da Vida de Marta Medeiros. Já o li pela 4ª vez