sexta-feira, 21 de abril de 2017

Nosso destino




Não tem como negar que somos donos do nosso destino, e quando alguns problemas aparecem, é mais que injusto atribuir à Deus culpa disso ou daquilo, não adianta tudo é reflexo de nossos atos, dos nossos fazeres. 

Deus não prescreve comportamentos não determina conjuntos de regras a serem seguidas. O homem por sua condição em seu aprimoramento moral é que deve fazê-lo, e o faz por consciência. 

Logo, não há desobediência à sua vontade, não há pecado. Deus não vigia, não fiscaliza. Ele não pune, não castiga, não determina ou executa sentenças. Os homens quando sofrem, são pelos resultados, de suas convicções.