quarta-feira, 19 de junho de 2013

Brasil o porto seguro da Humanidade.

PERGUNTA — Qual o papel representado pela nossa Terra nesse processo 
renovador?

RAMATIS — O papel das estações de repouso para onde o doente é conduzido ao 
convalescer.

PERGUNTA— Não compreendemos como poderá haver estações de repouso no 
panorama tumultuado do final dos tempos.

RAMATIS — Um organismo que se refaz, realmente, não está em repouso e sim em 
processo intenso de renovação. A pausa refere-se somente às atividades habituais do exenfermo.

As atividades habituais do homem moderno voltam-se marcadamente para a conquista 
de mais conforto material para si mesmo em detrimento do essencial para o próximo. Sob este aspecto, haverá pausa em suas atividades, pois não restarão lazeres para fabricar objetos de luxo numa época para a qual o pão de cada dia será a preocupação máxima. O espírito enfermiço que buscava sorver os venenos do egoísmo no plano material ficará em choque com a vida, que lhe negará a oportunidade de continuar a prejudicar sua evolução. Pausa obrigatória será imposta às civilizações materialistas, para, em grande parte, recorrerem ao sanatório em que o Brasil se verá convertido, posição esta que já começou a ser esboçada no panorama mundial desde as conflagrações anteriores.

Através da simbiose gradativa entre o psiquismo utilitarista do estrangeiro atormentado e a indolência poética e risonha do brasileiro, desperta repentinamente para novas realidades sociais, uma força renovadora deverá surgir — o panorama da Terra da Promissão em que o Brasil se verá transformado. Já não será a terra dos brasileiros mas o porto seguro da Humanidade conflagrada e infeliz em busca de novos rumos para a existência planetária.

As dificuldades coletivas, representadas pelo desajuste dos náufragos e pela mediocridade dos meios de seus hospedeiros, serão o dínamo que os impulsionará à fusão dos valores existentes em estado latente em seus espíritos. E essas mesmas dificuldades que tentarem tolher seus passos, funcionarão como o antídoto para os males que até então haviam alimentado. O desgosto causado pelas deficiências, então tornadas evidentes, estimulará o 
cultivo dos bens até então desprezados. O estrangeiro contagiará o brasileiro com sua cultura 
avançada e o brasileiro se sentirá estimulado a envidar todos os esforços no sentido de 
cumprir sua missão, sobre a qual então não lhe restará a menor dúvida.

O tempo então se incumbirá de permitir que sejam realidade na terra do Cruzeiro as 
doces palavras do Nazareno — "Bem-aventurados os mansos e pacíficos porque herdarão a 
Terra"...