domingo, 5 de julho de 2015

Um álibi para nossos erros.


O errado e algo que por opção deu certo. Confuso? Nem tanto. Tem coisas que tem tudo para dar certo e errado dá, assim como certas coisas tem tudo pra dar errado, mas certo acaba. Parando pra pensar, vê-se que entre um e outro há algo inexplicável. Neste mundo tantos são os fatos que permanecem explicáveis, principalmente quando se fala em emoções, sentimentos, impulsos. Sei lá...coisas que nem se sabe de onde vem, e nem para onde vão. Cada um ao começar sua estrada só sabe dela o começo, pois logo ali pode aparecer curvas, precipícios íngremes que terão que ser contornados. Mas como tocar nossas vidas se com medo estamos de repetir os mesmo erros? Não existe formas mágicas, não adianta abrir uma fresta da porta nem espiar pelo buraco da fechadura para ver os segredos do outro lado, é preciso ir, sair, entrar para o mundo e aventurar-se, se errado deu, não foi porque era errado, e sim porque o certo era errado dar. Tudo é tão grande, tudo é tão vasto...Melhor o barulho dos loucos que o silêncio dos certos. Éramos pequenos  cometíamos erros, agora somos grandes essa é nossa desculpa, esse é nosso álibi.